Rohmer, o homem e suas imagens

Les Métamorphoses du Paysages
Les Métamorphoses du Paysages

 

Rohmer, o homem e suas imagens

 *Mostra acontece de 11 a 23 de junho de 2013, no Centro Cultural São Paulo;

 *Exibe seleção de documentários de Rohmer feitos para TV;

 *Traz ainda 3 longas-metragens de Rohmer pouco vistos no Brasil em película 35mm;

 *Traz filmes que Rohmer elogiou enquanto crítico cinematográfico da revista Cahiers du Cinéma;

*Evento foi possível graças ao apoio da Embaixada da França, Cinemateca da Embaixada da França, Institut Français e Centre Nacional de Documentation Pédagogique (CNDP).

 A Secretaria Municipal de Cultura e o Centro Cultural São Paulo, em parceria com a Vai e Vem Produções Culturais e com o apoio da Embaixada da França, Cinemateca da Embaixada da França no Brasil, Institut Français e Centre Nacional de Documentation Pédagogique (CNDP), apresentam a mostra Rohmer, o homem e suas imagens, de 11 a 23 de junho de 2013, no Centro Cultural São Paulo.

A mostra traz uma parte representativa da obra documental que Rohmer dirigiu para a TV francesa nos anos 1960 e mais três filmes do diretor que tiveram pouca ou nenhuma circulação no Brasil: Os Amores de Astrée e Céladon (2007), Perceval, o gaulês (1978) e O Agente triplo (2004).

Apesar de ter iniciado sua carreira como diretor na mesma época que François Truffaut, Jean-Luc Godard e outros expoentes da Nouvelle Vague, Eric Rohmer só se tornou conhecido como realizador cerca de uma década depois da eclosão do movimento, quando seu quarto longa-metragem, Minha Noite com Ela, de 1969, foi indicado à Palma de Ouro em Cannes e ao Oscar de melhor roteiro original.

Antes disso, ele já havia dirigido dois longas-metragens, O Signo do Leão e A Colecionadora, que inclusive ganhara o Prêmio Especial do Júri em Berlim, e alguns curtas. Porém, o que é pouco sabido é que uma série de documentários realizados por Rohmer para a TV francesa na década de 1960 teve papel decisivo na sua formação enquanto diretor.

Trata-se de uma série de documentários didáticos produzidos pelo Centro Nacional de Documentação Pedagógica (CNDP). Nesta série de filmes-ensaio, Rohmer reflete sobre a arte, sobre o belo, sobre a condição humana e, acima de tudo, sobre o papel das imagens.  Para a mostra Rohmer, o homem e suas imagens foram selecionados oito desses documentários dirigidos por Rohmer entre os anos de 1964 e 1969.

Além dos raros documentários para TV, a mostra Rohmer, o homem e suas imagens exibe ainda Os Amores de Perceval, o gaulês (1978), O Agente triplo (2004) e Astrée e Céladon (2007). Os dois últimos são também os últimos longas-metragens dirigidos por Rohmer e não tiveram lançamento comercial no Brasil.

Perceval, o gaulês também foi pouco visto por aqui e dialoga de forma interessante com o documentário para TV Perceval ou o Conto do Graal, realizado em 1965. Foi o documentário que inspirou Rohmer a dirigir, mais de uma década mais tarde, um longa sobre o personagem Perceval, cavaleiro da távola redonda.

Rohmer, crítico

Eric Rohmer, ou Maurice Schérer, seu verdadeiro nome, iniciou sua carreira como crítico de cinema ainda antes do aparecimento da revista Cahiers du Cinéma. Mas foi a partir dela, da qual foi um dos fundadores, que ganhou destaque como crítico. Com o afastamento de André Bazin, passou a editor, cargo que exerceu de 1957 a 1963, quando então deixou a revista. 

Os cineastas Roberto Rossellini e Jean Renoir eram consensos nos Cahiers du Cinéma, tendo sido Bazin o primeiro a identificar com a obra dos dois cineastas sua ideia do cinema enquanto arte fadada ao realismo. Rohmer reafirmou seu elogio a eles em textos como Jeunesse de Jean Renoir e Deux images de la solitude. Em Vanité que la peinture, um de seus primeiros textos publicados nos Cahiers, ele partia de Tabu, de F.W. Murnau e Nanook, de Robert Flaherty para defender o cinema enquanto a arte do realismo.  Rohmer talvez tenha sido o discípulo de Bazin que mais foi fiel às ideias do mestre.

Assim como Bazin, Rohmer era um amante do cinema americano. Um dos seus textos mais famosos e polêmicos é justamente Explication de vote, que escreveu para justificar seu voto em Ao Sul do Pacífico, de Joshua Logan, como o melhor filme do ano de 1959. Pouco tempo antes, em 1956, no texto Yonville-em-Kansas, já havia defendido o filme Picnic (1955), do mesmo diretor.

Além dos filmes do Rohmer diretor, a mostra Rohmer, o homem e suas imagens procura evidenciar também sua face enquanto crítico por meio de exibições de filmes de diretores cuja obra Rohmer publicamente defendeu.

Download do release em pdf

Serviço
Local:
CENTRO CULTURAL SÃO PAULO
Rua Vergueiro, 1000 – Paraíso
CEP 01504-000 – São Paulo – SP
Próximo à estação Vergueiro do metrô 

Entrada: R$ 1 (inteira) e R$ 0,50 (meia)
Classificação indicativa: verificar por filme

Telefone para informações: (11) 3397 4002

Informações à imprensa: ATTi Comunicação e Ideias
Eliz  Ferreira / Valéria Blanco
11.3729-1455 / 3729-1456 / 99110 2442

Vai e Vem Produções Culturais
Liciane Mamede/Cecília Lara
11.2738-6075

__________________________________________________________________

SINOPSES DOS FILMES

Documentários para TV

LOUIS LUMIÈRE
(França, 1968, 65’, PB, DVD)
Direção: Eric Rohmer
Elenco: Jean Renoir e Henry Langlois
Rohmer delineia um paralelo entre o trabalho dos pintores Frans Hals e Henri Rousseau e os filmes de Louis Lumière. A aparente aleatoriedade do trabalho desses artistas, na verdade, esconde uma meticulosa pesquisa.

EDGAR POE: HISTÓRIAS EXTRAORDINÁRIAS
(Edgar Poe: Histoires Extraordinaires, França, 1965, 25’, PB, DVD)
Direção: Eric Rohmer
Elenco: Jean Negroni, Antoine Vitez
Como abordar o trabalho poético de Edgar Allan Poe? Para fazer este tributo, Rohmer se inspira no ensaio Eureka, de 1848. O filme procura ser uma introdução ao universo poético do autor norte-americano, que transborda imagens e onde as formas sempre implicam ideias.

 AS CONTEMPLAÇÕES DE VICTOR HUGO
(Les Contemplation de Victor Hugo, França, 1966, 20’, PB, DVD)
Direção: Eric Rohmer
Elenco: Antoine Vitez
O escritor Victor Hugo é uma fonte de inspiração para Rohmer em seus trabalhos documentais. Mesmo nos trabalhos ficcionais, há algumas referências ao grande escritor francês. Rohmer fez dois documentários sobre o Hugo: As Contemplações de Victor Hugo e Victor Hugo Archictecte.

PERCEVAL OU O CONTO DO GRAAL
(Perceval ou le Conte Du Graal, França, 1965, 23’, PB, DVD)
Direção: Eric Rohmer
Elenco: Antoine Vitez
De acordo com Rohmer, a língua francesa é um patrimônio a ser preservado tal como um monumento histórico. Este programa é uma introdução ao aprendizado da literatura medieval, que se inicia com ilustrações antigas e atuais do romance de Chrétien de Troyes Perceval. Este documentário inspiraria Rohmer a fazer mais tarde o filme Perceval, o Gaulês (1978).

DON QUIXOTTE DE CERVANTES
(Don Quichotte de Cervantes, França, 1965, 24’, PB, DVD)
Direção: Eric Rohmer
“Eu estudei Don Quixote como se não pertencesse a uma linguagem específica… O que fiz foi um estudo sobre a encarnação do mito ou da lenda, a análise do tema através das imagens. Como os temas são desfigurados e como, após isso, podemos reconhecê-los. Este pode ser definido como um estudo comparativo entre pintura e literatura” (Rohmer)

OS PERSONAGENS DE LA BRUYÈRE
(Les Caractères de La Bruyère, França, 1965, 22’, PB, DVD)
Direção: Eric Rohmer
Elenco: Alain Dhurtal, René Bourdet, Charles Capezzali, Antoine Vitez
Aqui, o centro das atenções são os escritos do ensaísta francês Jean de La Bruyère. “Este filme, na verdade, oferece uma espécie de troca de fluídos: no sentido de que o aspecto físico delineado a partir de La Bruyère, os trajes, as cenas, envolveram o diretor em devaneios de reconstruir a vida cotidiana de Versailles”. (Georges Gaudu)

O HOMEM E AS IMAGENS
(L’Homme et Les Images, França, 1967, 35’, PB, DVD)
Direção: Eric Rohmer
Elenco: René Clair, Jean-Luc Godard, Jean Rouch
Rohmer entrevista três grandes diretores: René Clair, Jean Rouch e Jean-Luc Godard.

AS METAMORFOSES DA PAISAGEM
(Les Métamorphoses du Paysages, França, 1964, 22’, PB, DVD)
Direção: Eric Rohmer
Elenco: Antoine Vitez
“Não é uma questão de observar que o mundo, nos últimos 100 ou 150 anos, mudou em aparência devido à influência direta ou indireta da revolução industrial, mas de achar uma oportunidade para meditação ou para sonhar poeticamente dentro dessas metamorfoses” (Rohmer).

Longas inéditos

OS AMORES DE ASTRÉE E CÉLADON
(Les Amours d’Astrée et de Céladon, França, 2007, 109’, cor, 35 mm)
Direção: Eric Rohmer
Elenco: Andy GilletStéphanie Crayencour e Cécile Cassel
O pastor Céladon e a pastora Astrée estão unidos por um amor puro. Mas, enganada por um invejoso que a corteja, Astrée ordena a Céladon que desapareça para sempre de sua vista. Em desespero, ele atira-se ao rio.

PERCEVAL, O GAULÊS
(Perceval, Le Gallois, França, 1978, 140’, cor, 35 mm)
Direção: Eric Rohmer
Elenco: Fabrice LuchiniAndré Dussollier e Solange Boulanger
Adaptação do romance de Chrétien de Troyes, o filme conta a história e as aventuras de Perceval, um cavaleiro da Idade Média. 

O AGENTE TRIPLO
(Triple Agent, França, 2004, 115’, cor, 35 mm)
Direção: Eric Rohmer
Elenco: Katerina DidaskalouSerge Renko e Cyrielle Clair
França, 1936-37. A Frente Popular ganha as eleições e começa a Guerra Civil espanhola. Hitler e Stalin têm espiões por toda parte. O general Fiodor Veronin, do exército russo, provavelmente será escalado para substituir um velho general. A esposa de Fiodor logo cai doente e, para conseguir tratamento, ele terá que fazer concessões às suas convicções.

_____________________________________________________________

Programação

17h
O HOMEM E AS IMAGENS
(L’Homme et Les Images, França, 1967, 35’, PB, DVD)

OS PERSONAGENS DE LA BRUYÈRE
(Les Caractères de La Bruyère, França, 1965, 22’, PB, DVD)

 AS METAMORFOSES DA PAISAGEM
(Les Métamorphoses du Paysages, França, 1964, 22’, PB, DVD)

20h
VIAGEM À ITÁLIA
(Viaggio in Italia, Itália/França, 1954, 97’, PB, DVD)
Direção: Roberto Rosselini

Dia 12/06 – quarta-feira

17h
PERCEVAL OU O CONTO DO GRAAL
(Perceval ou le Conte Du Graal, França, 1965, 23’, PB, DVD)

 EDGAR POE: HISTÓRIAS EXTRAORDINÁRIAS
(Edgar Poe: Histoires Extraordinaires, França, 1965, 25’, PB, DVD)

 DON QUIXOTTE DE CERVANTES
(Don Quichotte de Cervantes, França, 1965, 24’, PB, DVD)

20h
TABU
(Tabu: A Story of the South Seas, USA, 1931, 82’, PB, DVD)
Direção: F.W. Murnau

Dia 13/06 – quinta-feira

 17h
AS CONTEMPLAÇÕES DE VICTOR HUGO
(Les Contemplation de Victor Hugo, França, 1966, 20’, PB, DVD)

LOUIS LUMIÈRE
(França, 1968, 65’, PB, DVD)

20h
O SEGREDO DO PÂNTANO
(Swamp Water, USA, 1941, 88’, PB, DVD)
Direção: Jean Renoir

Dia 14/06 – sexta-feira

 17h
OS AMORES DE ASTRÉE E CÉLADON
(Les Amours d’Astrée et de Céladon, França, 2007, 109’, cor, 35 mm)

20h
ESTA TERRA É MINHA
(This Land Is Mine, USA, 1943, 103’, PB, DVD)
Direção: Jean Renoir

Dia 15/06 – sábado

 17h
PERCEVAL, O GAULÊS
(Perceval, Le Gallois, França, 1978, 140’, cor, 35 mm)

20h
TABU
(Tabu: A Story of the South Seas, USA, 1931, 82’, PB, DVD)
Direção: F.W. Murnau

Dia 16/06 – domingo

17h
AO SUL DO PACÍFICO
(South Pacific, USA, 1958, 157’, cor, DVD)
Direção: Joshua Logan

 20h
17h O HOMEM E AS IMAGENS
(L’Homme et Les Images, França, 1967, 35’, PB, DVD)

 OS PERSONAGENS DE LA BRUYÈRE
(Les Caractères de La Bruyère, França, 1965, 22’, PB, DVD) 

AS METAMORFOSES DA PAISAGEM
(Les Métamorphoses du Paysages, França, 1964, 22’, PB, DVD) 

Dia 18/06 – terça-feira

17h
O AGENTE TRIPLO
(Triple Agent, França, 2004, 115’, cor, 35 mm)

20h
O SEGREDO DO PÂNTANO
(Swamp Water, USA, 1941, 88’, PB, DVD)
Direção: Jean Renoir

Dia 19/06 – quarta-feira

17h
AS CONTEMPLAÇÕES DE VICTOR HUGO
(Les Contemplation de Victor Hugo, França, 1966, 20’, PB, DVD)

LOUIS LUMIÈRE
(França, 1968, 65’, PB, DVD)

 20h
AURORA
(Sunrise: A Song of Two Humans, USA, 1927, 94’, PB, DVD)
Direção: F.W. Murnau

Dia 20/06 – quinta-feira

17h
OS AMORES DE ASTRÉE E CÉLADON
(Les Amours d’Astrée et de Céladon, França, 2007, 109’, cor, 35 mm)

20h
VIAGEM À ITÁLIA
(Viaggio in Italia, Itália/França, 1954, 97’, PB, DVD)
Direção: Roberto Rosselini

Dia 21/06 – sexta-feira 

17h
AO SUL DO PACÍFICO
(South Pacific, USA, 1958, 157’, cor, DVD)
Direção: Joshua Logan

20h
PERCEVAL OU O CONTO DO GRAAL
(Perceval ou le Conte Du Graal, França, 1965, 23’, PB, DVD)

EDGAR POE: HISTÓRIAS EXTRAORDINÁRIAS
(Edgar Poe: Histoires Extraordinaires, França, 1965, 25’, PB, DVD)

DON QUIXOTTE DE CERVANTES
(Don Quichotte de Cervantes, França, 1965, 24’, PB, DVD)

Dia 22/06 – sábado

17h
O AGENTE TRIPLO
(Triple Agent, França, 2004, 115’, cor, 35 mm)

20h
ESTA TERRA É MINHA
(This Land Is Mine, USA, 1943, 103’, PB, DVD)
Direção: Jean Renoir

Dia 23/06 – domingo

17h
PERCEVAL, O GAULÊS
(Perceval, Le Gallois, França, 1978, 140’, cor, 35 mm)

 20h
AURORA
(Sunrise: A Song of Two Humans, USA, 1927, 94’, PB, DVD)
Direção: F.W. Murnau

CENTRO CULTURAL SÃO PAULO
Rua Vergueiro, 1000 – Paraíso – CEP 01504-000 – São Paulo – SP
fone: 3397 4002

cndp 1               cndp 2

logo_CNDPCRDPblanc

cnpd 3

3 comentários Adicione o seu

  1. Pingback: Links da Semana |
  2. Igor Santa Clara de Aquino disse:

    Lastimável uma mostra de um cineasta da grandeza de Rohmer ser exibida quase que integralmente em dvd.

    Muitas das mostras no Brasil, aliás tem se valido exageradamente deste suporte. Difícil não pensar em preguiça, comodismo.

    A cinemateca brasileira fez uma mostra com diversos filmes de Eric Rohmer, creio que quase tudo em película. O estação Botafogo tinha praticamente toda a filmografia deste cineasta em película.

    Não me parece que se possa postular uma desculpa razoável para que se exibam quase toda a filmografia de Rohmer em dvd. Sobretudo por contar com apoio de importantes instituições francesas.

    Decepcionado, não tive ânimo para assistir a sessão alguma.

    1. Vai & Vem disse:

      Prezado,
      Os filmes “Os Amores de Astrée e Céladon”, “Agente Triplo” e “Perceval, o gaulês” foram exibidos em película 35mm. Quanto aos documentários que Rohmer fez para TV, eles apenas estão disponíveis em versão digital, não há cópia em película desses filmes (pelo menos não para circulação). Essa mostra teve como propósito exibir filmes raros de Rohmer (pelo menos, no Brasil, como é o caso de seus dois últimos longas, que não estrearam por aqui em circuito comercial), portanto, não fazia sentido exibir as cópias – já um tanto gastas – do Grupo Estação.
      Atenciosamente,
      Liciane Mamede – Vai e Vem Produções

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s