Jacques Rivette – Já não somos inocentes

Ministério da Cultura apresenta

Centro Cultural Banco do Brasil apresenta e patrocina

Jacques Rivette – Já não somos inocentes

—————————————————————————-

Para baixar o catálogo da mostra, clique aqui

—————————————————————————-

Assista às palestras e ao debate realizados no CCBB-SP:

Palestra Jacques Rivette – Crítico de Cinema
realizada em 06/07/2013, com Luiz Carlos Oliveira Jr. – Crítico de cinema, pesquisador e curador da mostra

Debate: do esboço ao afresco
Realizado em 18/07/2013 no auditório do CCBB-SP, com a participação dos curadores Luiz Carlos Oliveira Jr. e Francis Vogner dos Reis e do pesquisador Mateus Araújo

Palestra Jacques Rivette – Cineasta
realizada em 20/07/2013 com Francis Vogner dos Reis – Crítico de cinema e curador da mostra

—————————————————————————-

O Centro Cultural Banco do Brasil, em parceria com a Vai e Vem Produções Culturais e com o apoio da Embaixada da França, Cinemateca da Embaixada da França no Brasil e Institut Français,  apresenta a Mostra Jacques Rivette – Já não somos inocentes, que acontece de 25 de junho a 14 de julho no CCBB do Rio de Janeiro e de 3 a 21 de julho no CCBB de São Paulo

Com curadoria de Francis Vogner dos Reis e Luiz Carlos Oliveira Jr, a mostra exibirá 26 títulos entre longas e curtas metragens. Entre eles está Paris nos Pertence, que abrirá a mostra no Rio de Janeiro

Jacques Rivette é o menos conhecido e o mais enigmático dos cineastas da geração da Nouvelle Vague. Dono de vasta erudição e de conhecimentos estéticos que extrapolam a sétima arte, ele compôs alguns dos filmes mais exigentes do cinema moderno francês, o que fez com que sua obra circulasse bem menos que a de seus colegas Godard, Truffaut, Chabrol e Rohmer. Aqui no Brasil, não obteve ainda a atenção devida, ficando restrito a lançamentos esporádicos.

Tendo começado a filmar na curva dos anos 1950 para os 60, ou seja, no ponto de virada entre o cinema clássico e o moderno, Rivette soube encontrar um misterioso equilíbrio entre Fritz Lang, Otto Preminger, Hitchcock e Howard Hawks, de um lado, e Rossellini e Jean Renoir, do outro.

Seus filmes, muitos deles de duração longuíssima, não devem ser vistos apenas como obras de austeridade e imponência, pois há uma parte de divertimento e fantasia que Rivette alimenta com enorme frescor e inventividade.

No dia 11 de julho (quinta-feira) às 19h30, no CCBB-RJ, também haverá um debate com os curadores e com o crítico de cinema Ruy Gardnier.  Em São Paulo, haverá ainda duas palestras e debate. Confira a programação aqui.

Essa retrospectiva é a mais completa realizada no Brasil das obras de Jacques Rivette, um dos cineastas franceses mais importantes da história e um dos mestres do cinema ainda vivos.

Programação CCBB RJ

25/06 – Terça-feira

15h – Céline e Julie vão de barco (Céline et Julie vont en bateau, 1974, 193’)

19h – Sessão de abertura: Paris nos pertence (Paris nous appartient, 1961, 136’)

26/06 – Quarta-feira

14h – Jean Renoir, o patrão – 1a parte : em busca do relativo  (Jean Renoir, le patron :  La recherche du relative, 1967, 94’)

16h – Merry-go-round (1981, 160’)

19h30 – Não toque no machado (Ne touchez pas la hache, 2007, 137’)

27/06 – Quinta-feira

14h – Jean Renoir, o patrão – 2a parte: a direção de atores (Jean Renoir, le patron : La direction d’acteur, 1967, 95’)

16h – Paris nos pertence (Paris nous appartient, 1961, 136’)

19h – O amor por terra (L’amour par terre, 1984, 125’)

28/06 – Sexta-feira

14h – Jean Renoir, o patrão – 3a parte : a regra e a exceção (Jean Renoir, le patron: La règle et l’exception, 1967, 95’)

16h – Noroeste (Noroît, 1976, 145’)

19h – A ponte do norte (Le pont du nord, 1981, 129’)

29/06 – Sábado

16h – Joana, a virgem I – As batalhas (Jeanne, la pucelle: Les batailles, 1994, 160’)

19h – Joana, a virgem II – As prisões (Jeanne, la pucelle: Les prisons, 1994, 176’)

30/06 – Domingo

17h – Out 1: Espectro (Out 1: Spectre, 1974, 260’)

01/07 – Segunda-feira

14h – Não toque no machado (Ne touchez pas la hache, 2007, 137’)

16h30 – Duelle: uma quarentena (Duelle (une quarantaine), 1976, 121’)

19h – Defesa secreta (Secret défense, 1998, 170’)

02/07 – Terça-feira

Não há sessões

03/07 – Quarta-feira

14h – A história de Marie e Julien (Histoire de Marie et Julien, 2003, 150’)

17h – Céline e Julie vão de barco (Céline et Julie vont en bateau, 1974, 193’)

04/07 – Quinta-feira

14h – Defesa secreta (Secret défense, 1998, 170’)

17h – O truque do pastor (Le coup du berger, 1956, 28’) + 36 vistas do monte Saint Loup (36 vues du mont Saint Loup, 2009, 84’)

19h – A religiosa (La religieuse, 1966, 135’)

05/07 – Sexta-feira

14h – A ponte do norte (Le pont du nord, 1981, 129’)

16h30 – Merry-go-round (1981, 160’)

19h30 – Duelle: uma quarentena (Duelle (une quarantaine), 1976, 121’)

06/07 – Sábado

11h –  A história de Marie e Julien (Histoire de Marie et Julien, 2003, 150’) *

16h – Noroeste (Noroît, 1976, 145’)

19h – O truque do pastor (Le coup du berger, 1956, 28’) + 36 vistas do monte Saint Loup (36 vues du mont Saint Loup, 2009, 84’)

07/07 – Domingo

11h – A religiosa (La religieuse, 1966, 135’)*

17h – Quem sabe? (Va savoir, 2001, 220’)

08/07 – Segunda-feira

12h – Céline e Julie vão de barco (Céline et Julie vont en bateau, 1974, 193’)*

16h – A história de Marie e Julien (Histoire de Marie et Julien, 2003, 150’)

19h – O morro dos ventos uivantes (Hurlevent, 1985, 130’)

09/07 – Terça-feira

Não há sessões

10/07 – Quarta-feira

14h – O bando das quatro (La bande des quatre, 1989, 160’)

17h – A bela intrigante (La belle noiseuse, 1991, 238’)

11/07 – Quinta-feira

14h – Jacques Rivette, o vigilante, dir. Claire Denis (Jacques Rivette, le veilleur, 1990, 124’)

16h30 – O morro dos ventos uivantes (Hurlevent, 1985, 130’)

19h30 – Debate: Jacques Rivette – A lei, o segredo e o perigo (com a participação dos curadores Luiz Carlos Oliveira Jr e Francis Vogner dos Reis e do crítico de cinema Ruy Gardnier)

12/07 – Sexta-feira

14h – Amor Louco (L’amour fou, 1969, 252’)

19h – Paris no verão (Haut bas fragile, 1995, 169’)

13/07 – Sábado

11h – Joana, a virgem I – As batalhas (Jeanne, la pucelle: Les batailles, 1994, 160’)*

16h – O bando das quatro (La bande des quatre, 1989, 160’) – Sala 2

16h – Out 1: Espectro (Out 1: Spectre, 1974, 260’) *

14/07 – Domingo

11h –  Joana, a virgem II – As prisões (Jeanne, la pucelle: Les prisons, 1994, 176’)*

17h – A bela intrigante (La belle noiseuse, 1991, 238’)

15/07 – Segunda-feira

14h – Amor Louco (L’amour fou, 1969, 252’)

18h30 – Paris no verão (Haut bas fragile, 1995, 169’)

Programação Cinemaison

22/07 – Segunda-feira

18h – O amor por terra (L’amour par terre, 1984, 125’)

20h – Paris nos pertence (Paris nous appartient, 1961, 136’)

*sessões extras

—————————————————————————-

Programação CCBB SP

*Aviso: Haverá sessão extra do filme Out 1: Espectro, no dia 22/07, às 16h, no CCBB-SP.

03/07 – Quarta-feira 

14h – Jean Renoir, o patrão – 1a parte : em busca do relativo  (Jean Renoir, le patron :  La recherche du relative, 1967, 94’)

16h – Jacques Rivette, o vigilante, dir. Claire Denis (Jacques Rivette, le veilleur, 1990, 124’)

19h – Sessão de abertura : Paris nos pertence (Paris nous appartient, 1961, 136’)

04/07 – Quinta-feira

14h – Jean Renoir, o patrão – 2a parte: a direção de atores (Jean Renoir, le patron : La direction d’acteur, 1967, 95’)

16h – A bela intrigante (La belle noiseuse, 1991, 238’)

20h15 – O amor por terra (L’amour par terre, 1984, 125’)

 05/07 – Sexta-feira

14h – Jean Renoir, o patrão – 3a parte : a regra e a exceção (Jean Renoir, le patron: La règle et l’exception, 1967, 95’)

16h – Joana, a virgem I – As batalhas (Jeanne, la pucelle: Les batailles, 1994, 160’)

19h – Joana, a virgem II – As prisões (Jeanne, la pucelle: Les prisons, 1994, 176’)

06/07 – Sábado

11h30 – O amor por terra (L’amour par terre, 1984, 125’)

14h – Palestra: Jacques Rivette – Crítico de Cinema com Luiz Carlos Oliveira Jr. (Crítico de cinema, pesquisador e curador da mostra “Jacques Rivette – Já não somos inocentes”). Haverá distribuição de certificados para os participantes.

17h – A bela intrigante (1991, 238’)

 07/07 – Domingo

14h – Paris nos pertence (Paris nous appartient, 1961, 136’)

17h – Out 1: Espectro (1974, 260’)

08/07 – Segunda-feira

Não há sessões.

09/07 – Terça-feira

Não há sessões

 10/07 – Quarta-feira

14h – Defesa secreta (Secret défense, 1998, 170’)

17h – Não toque no machado (Ne touchez pas la hache, 2007, 137’)

19h30 – A religiosa (La religieuse, 1966, 135’)

11/07 – Quinta-feira

14h – Noroeste (Noroît, 1976, 145’)

17h – Duelle : uma quarentena (Duelle : une quarenteine, 1976, 121’)

19h30 – O truque do pastor (Le coup du berger, 1956, 28’) + 36 vistas do monte Saint Loup (36 vues du mont Saint Loup, 2009, 84’)

 12/07 – Sexta-feira

14h – Céline e Julie vão de barco (Céline et Julie vont en bateau, 1974, 193’)

19h – Merry-go-round (1981, 160’)

13/07 – Sábado

Não há sessões.

14/07 – Domingo

14h – Não toque no machado (Ne touchez pas la hache, 2007, 137’)

16h30 – Noroeste (Noroît, 1976, 145’)

19h30 – A ponte do norte (Le pont du nord, 1981, 129’)

15/07 – Segunda-feira

Não há sessões

 16/07 – Terça-feira

Não há sessões

17/07 – Quarta-feira

14h – Joana, a virgem I – As batalhas (Jeanne, la pucelle: Les batailles, 1994, 160’)

17h – Joana, a virgem II – As prisões (Jeanne, la pucelle: Les prisons, 1994, 176’)

20h15 – O morro dos ventos uivantes (Hurlevent, 1985, 130’)

18/07 – Quinta-feira

14h – Paris no verão (Haut bas fragile, 1995, 169’)

17h – O truque do pastor (Le coup du berger, 1956, 28’) + 36 vistas do monte Saint Loup (36 vues du mont Saint Loup, 2009, 84’)

19h30 – Debate: Jacques Rivette – Jacques Rivette – Do Esboço ao Afresco (com a participação dos curadores Luiz Carlos Oliveira Jr. e Francis Vogner dos Reis e do pesquisador Mateus Araújo)

19/07 – Sexta-feira

14h – O bando das quatro (La bande des quatre, 1989, 160’)Paris no verão (Haut bas fragile, 1995, 169’)

17h – O morro dos ventos uivantes (Hurlevent, 1985, 130’)

20h – A ponte do norte (Le pont du nord, 1981, 129’)

20/07 – Sábado

11h30 – Duelle : uma quarentena (Duelle : une quarenteine, 1976, 121’)

14h – Palestra: Jacques Rivette – Cineasta com Francis Vogner dos Reis (Crítico de cinema e curador da mostra “Jacques Rivette – Já não somos inocentes”). Haverá distribuição de certificados para os participantes.

17h – Quem sabe? (Va savoir, 2001, 150’)

20h – Merry-go-round (1981, 160’)

21/07 – Domingo

11h30 – A religiosa (La religieuse, 1966, 135’)

14h – Amor Louco (L’amour fou, 1969, 252’)

19h – A história de Marie e Julien (Histoire de Marie et Julien, 2003, 150’)

22/07 – Segunda-feira (sessão extra)

16h – Out 1: Espectro (1974, 260’)

—————————————————————————-

CRÉDITOS

Patrocínio
Banco do Brasil

Realização
Centro Cultural Banco do Brasil

Produção e organização
Vai e Vem Produções Culturais e Cinematográficas

Apoio
Embaixada da França, Cinemateca da Embaixada da França no Brasil e Institut Français

Apoio Institucional
Cinemateca Portuguesa

Curadoria
Francis Vogner dos Reis
Luiz Carlos de Oliveira Jr.

Produção executiva
Liciane Mamede

Coordenação de Produção
Cecília Lara

Produção de cópias
Fábio Savino

Produção local – RJ
Fernanda Taddei

Assistente de produção/Monitoria – SP
Ana Cláudia Colagrande

Design gráfico
Élcio Miyazaki

Vinheta
Allan Peterson dos Reis

Registro videográfico
Allan Peterson dos Reis

Legendagem eletrônica
4 Estações

Assessoria de imprensa
Atti Comunicação – São Paulo
Elizangela Ferreira
Valéria Blanco

A Dois Comunicação – Rio de Janeiro
Anna Accioly
Ana Luiza Viana

Revisão de cópias
Cristina Mendonça Flores

Debate em São Paulo
Francis Vogner dos Reis
Luiz Carlos de Oliveira Jr.
Mateus Araújo Silva

Debate Rio de Janeiro
Francis Vogner dos Reis
Luiz Carlos de Oliveira Jr.
Ruy Gardnier

Agradecimento
Gustavo Andreotta
João Pedro Bénard
Luís Miguel Oliveira
Marie Durand
Museu de Arte Moderna – Rio de Janeiro
Patrícia Mourão
Paule Maillet
Nicolas Juin
Thomas Sparfel
Michelle Pistolesi
Véronique Manniez-Rivette

Créditos do catálogo

Edição
Francis Vogner dos Reis
Luiz Carlos de Oliveira Jr.
Mateus Araújo Silva

Design gráfico
Élcio Miyazaki

Produção gráfica
Liciane Mamede

Tradução de textos
Bruno Andrade
Íris Araújo
Ivna Maia Fuchigami
Gabriela Linck
Isabel Ramos Monteiro
Lúcia Monteiro
Luiz Soares Jr.
Maria Chiaretti
Mateus Araújo Silva
Tatiana Monassa
Vivian Malusá

Filmografia
Calac Nogueira
Francis Vogner dos Reis
Liciane Mamede

Revisão
Ana Paula Gomes

Gráfica
Cinelândia

Ficha catalográfica
Alexandre Myazato

Agradecimento especial
Jacques Rivette
Véronique Manniez-Rivette

Agradecimento
Adriano Apràs
Emmanuel Siety
Jacques Aumont

regua

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s