A Imagem Reencontrada

A Imagem Reencontrada: Cinemateca de Bolonha e Il Cinema Ritrovatto

(texto: Assessoria de Imprensa Centro Cultural São Paulo)

Com a comemoração dos 25 anos do Festival Il Cinema Ritrovato, na Itália, uma espécie de evento que celebra o cinema mundial e sua conservação por meio das cinematecas, o Centro Cultural São Paulo, o Cine Olido e a Vai Vem Produções trouxeram, de 1º a 13/2/2011, para São Paulo um pequeno braço desse celebradíssimo festival. Serão exibidas cópias em películas recém-restauradas e clássicos raros, como O posto, de Ermanno Olmi, A trapaça, de Fellini, além de filmes de grandes autores como Pasolini e Rogosin e curtas-metragens de Vittorio de Seta. O curador da mostra oficial na Itália, Guy Borlée, estará presente para uma palestra com o crítico de cinema Luiz Carlos Oliveira.

 Sobre a Cinemateca de Bolonha

Uma cinemateca é o local consagrado à preservação do cinema. Para realizar esta tarefa primária, ela deve possuir um espaço adequado, valer-se de competências profissionais específicas, ter uma política credível de enriquecimento do patrimônio que persegue um objetivo claro: a disponibilização de acervos através da catalogação, do uso da internet, da promoção de estudos específicos, de pesquisa, de publicações, manifestações, mostras… A conservação e o restauro do patrimônio, dos filmes, das fotografias, dos cartazes, é parte integrante desta política que, através de ações que livram os materiais originais da deterioração, permite ao público contemporâneo descobrir os filmes do passado com novos olhos. Uma Cinemateca deve permitir, a um público tão amplo quanto possível, encontrar as obras do cinema em sua totalidade, numa condição propicia à valorização de sua importância. Além disso, segundo o curador do festival Il Cinema Ritrovato, Guy Borleé, “para uma cinemateca, lidar com a memória do cinema também significa assumir um olhar e uma atitude internacionais, já que a sétima arte tem sido sempre, desde sua origem, refratária ao fechamento de fronteiras”.

Conforme conta o curador, os trinta e cinco anos de história da Cinemateca de Bolonha, nascida em 1974, tiveram como objetivo a implementação deste projeto. Com apoio do Município, da Região Emilia-Romagna e da Direção Geral de Cinema do Ministério da Cultura, a Cinemateca conta hoje com sede adequada, força de trabalho qualificada, acervo relevante de filmes, fotografias, cartazes (enriquecido por alguns patrimônios de prestígio, como os de Chaplin, Pasolini e Blasetti), e com uma política de exibição bem articulada.

Além dos arquivos, a cinemateca dispõe de três salas e uma biblioteca. Grandes eventos, como Il Cinema Ritrovato e as projeções a céu aberto na Piazza Maggiore de Sotto le Stelle del Cinema, completam o calendário anual, que apresenta mais de 1.500 filmes para mais de 180 mil espectadores. “Uma proposta ampla, rica, muito diversificada. Acreditamos que essa é a contribuição mais importante que uma instituição cultural pode aportar a uma “democracia da visão”, especialmente em um país como a Itália, envenenado por décadas de má televisão”, afirma Borleé.

Veja também:

Site oficial da Cinemateca de Bolonha

Site da World Cinema Foundation, organização sem fins lucrativos dedicada à conservação e restauro de filmes


Sobre o Festival Il Cinema Ritrovatto e sua importância

Embora seja um festival calcado na pesquisa, que contempla o vasto território da história do cinema, Il Cinema Ritrovato, que completa 25 anos em 2011, tornou-se, ano após ano, o festival mundial das cinematecas, em que se mostra em primeira mão os melhores frutos da atividade de restauração e recuperação. Outro objetivo do evento é renovar o relacionamento entre os arquivos de cinema e os espectadores, trazendo para a frente da tela não apenas um público internacional de especialistas (no ano passado, mais de 700 credenciados vieram de fora de Bolonha), mas também um público muito vasto de espectadores (em 2010, foram 56730 em uma semana).

Entre os focos do festival estão sempre uma atenção especial ao cinema mudo, um olhar mais atento e curioso sobre o cinema europeu, um cuidado sempre renovado com a qualidade dos acompanhamentos musicais, uma paixão especial pelos filmes em grande formato que voltam a brilhar na tela, tudo isso mantendo um ecletismo que se reflete em um programa que alterna os grandes clássicos aos filmes recuperados que sejam pouco notados ou ainda desconhecidos.

O festival tem construído uma rede de colaboradores europeus e internacionais, estabelecendo-se como um lugar de troca e como caixa de ressonância para o aprofundamento histórico e metodológico desenvolvido pela comunidade arquivística. Ao mesmo tempo, procura mostrar que é possível organizar um festival de rigor científico sem se fechar no círculo de uma elite de profissionais especializados. Além disso, Il Cinema Ritrovato tem contribuído ao longo desses anos para avançarmos na definição da restauração de filmes. Em Bolonha, uma grande comunidade de arquivistas, historiadores, pesquisadores, jornalistas, cinéfilos, estudantes e espectadores pode admirar, comparar, criticar a restauração e, assim, começar a estabelecer teorias, reflexões e práticas inovadoras. A Immagine Ritrovata, oficina de restauro da Cinemateca, é uma das mais renomadas do mundo. A próxima edição do festival ocorrerá de 25 de junho a 2 julho de 2011 e terá em sua programação homenagens à obra de Howard Hawks, Conrad Veidt, Boris Barnet, Elia Kazan.

———————————————————————

Programação CCSP – 2013

Dia 1 – terça-feira
18h – Maciste No Inferno (Maciste all’inferno, Itália, 1926, 95 min, p&b)
Direção: Guido Brignone
Elenco: Bartolomeo Pagano, Franz Sala, Elena Sangro
Sinopse: O Diabo puxa Maciste para o inferno, para tentar corromper sua alma e arruinar com a sua moral. Maciste é um um dos mais antigos personagens recorrentes do cinema italiano. Representava um homem mitológico muito parecido com Hércules, que utilizava sua descomunal força para realizar feitos heróicos. É um precursor dos personagens de aventuras falsamente mitológicas como Conan, o bárbaro, entre outros.

20h – A Caixa De Pandora (Die Büchse der Pandora , Alemanha, 1929, 133 minutos, p&b)
Direção: Georg Wilhelm Pabst
Elenco: Louise Brooks, Fritz Kortner, Francis Lederer, Carl Goetz, Krafft-Raschig,
Sinopse: Em Berlim, o rico dono de um jornal desiste na última hora de se casar com uma dama aristocrática, para se casar com a bela e amoral dançarina Lulu (Louise Brooks), por quem está apaixonado. Esse casamento terá um desfecho trágico.

Dia 2 – quarta-feira
18h – Il Mondo Perduto – Programa 1 (Itália, 1954 – 1959, 63 min)
Direção: Vittorio De Seta
Sinopse: Coletânea de Curtas-metragens dirigidos por Vittorio De Seta
Curtas exibidos nesse programa:
O Tempo do Peixe-espada (Lu Tempu de li Pisci Spata, Itália, 1954), 11’
Ilhas de Fogo (Isole di Fuoco, Itália, 1955), 11′
Enxofre (Surfarara, Itália, 1955), 10’
Páscoa na Sicília (Pasqua in Sicilia, Itália, 1955), 11′
Pescadores do mar (Contadini del Mare, Itália, 1955), 10′
Parábola do Ouro (Parabola d’oro, Itália, 1955), 10’

19h30 – Palestra Cinemateca de Bolonha e Festival Il Cinema Ritrovato: Preservando a Memória do Cinema

Dia 3 – quinta-feira
18h – Il Mondo Perduto – Programa 2 (Itália, 1954 – 1959, 52 min)
Direção: Vittorio De Seta
Sinopse: Coletânea de Curtas-metragens dirigidos por Vittorio De Seta
Curtas exibidos nesse programa:
Barcos de Pesca (Pescherecci, Itália, 1958), 10’
Pastores de Orgosolo (Pastori di Orgosolo, Itália, 1958), 11’
Um Dia na Barbagia (Un giorno in Barbagia, Itália, 1958), 11’
O Esquecido (I Dimenticati, Itália, 1959), 20’

20h – Redes (Redes, México, 1936, 61 min)
Direção: Fred Zinnemann, Emilio Gómez Muriel
Elenco: Silvio Hernández, David Valle González, Rafael Hinojosa, Antonio Lara
Sinopse: O filme segue o pescador Miro, que é explorado por um empreendedor local. Miro começa a ficar mais radical e oferecer resistência aos desmandos de seu chefe, após a morte do filho, e começa a planejar uma revolta.

Dia 4 – sexta-feira
18h – Notas Para Filmar Orestes na África  (Appunti per um’Orestiade Africana, Itália, 1970, 65 min, p&b)
Direção: Pier Paolo Pasolini
Sinopse: Fascinado pelas antigas lendas gregas de Orestes, Pasolini viaja não para a Grécia, mas para a África, para então documentar os costumes e rituais de tribos africanas, com a intenção de usar esse material para um filme sobre um “Orestes Africano”. Esse filme nunca foi feito, mas o material era fascinante o bastante para ser transformar neste maravilhoso documentário.

20h – A Trapaça (Il Bidone, Itália, 1955, 109 min, p&b)
Direção: Federico Fellini
Elenco: Broderick Crawford, Giulietta Masina, Richard Basehart, Franco Fabrizi,
Sinopse: Na Itália dos anos 50, três vigaristas desiludidos vivem de pequenos golpes, aproveitando-se da ingenuidade do povoado. Augusto, líder do bando, começa a mudar de atitude quando conhece sua filha e descobre que ela precisa de sua ajuda para continuar os estudos.

Dia 5 – sábado
18h – Touki Bouki – A Jornada da Hiena (Touki Bouki, Senegal, 1973, 85 min, cor)
Direção: Djibril Diop Mambéty
Elenco: Aminata Fall, Christoph Colomb, Magaye Niang
Sinopse: O diretor senegalês Djibril Diop Mambéty conta a história de dois jovens amantes que tentam fugir para Paris. O jovem Mori e sua namorada Anta ignoram sua própria realidade e imaginam a sua liberdade longe das sujas ruas de sua cidade natal Dakar. Morando na beira de um belo mar azul e cristalino, eles vêem a sua liberdade não tão longe dali, e embarcam em uma aventura para conseguir o dinheiro que precisam para a passagem. Uma poderosa parábola de medo e liberdade, Touki Bouki tem todos os elementos do cinema moderno e todo o poder da tradição do simbolismo africano.

20h – Quando Explode a Vingança (Giù la Testa, Itália, 1971, 157 min, cor)
Direção: Sergio Leone
Elenco: James Coburn, Rod Steiger, Romolo Valli, Maria Monti, Rik Battaglia
Sinopse: Juan Miranda é um camponês rude com coração de Robin Hood. Sean Mallory é um revolucionário irlandês que é especialista em dinamite. Após um início complicado eles passam a atuar juntos e se envolvem em um ousado plano de fuga para libertar prisioneiros políticos e na defesa de seus compatriotas contra a milícia de um sádico oficial.

Dia 6 – domingo
18h – O Posto (Il Posto, Itália, 1961, 93 min, p&b)
Direção: Ermanno Olmi
Elenco: Sandro Panzeri, Loredana Detto, Tullio Kezich, Carla Colombo, Mara Revel
Sinopse: Quando o jovem Domenico viaja da pequena vila de Meda para Milão a procura de emprego, ele se vê no degrau mais baixo da escala hierárquica de uma enorme e burocrática companhia. As perspectivas são desanimadoras, mas Domenico não desanima e encontra esperança na perseverante Antonietta. Um comovente filme sobre os ritos de passagem do adolescente e uma aguda observação sobre a desumanização do setor corporativo.

20h De Volta à África (Come Back Africa, USA, 1959, 95 min, p&b)
Direção: Lionel Rogosin
Sinopse: Documentário sobre o sistema apartheid oficial da África do Sul, que define e estrutura a separação racial e como esse sistema afeta os sul-africanos, desde cidadãos comuns até celebridades internacionais como a cantora Miriam Makeba. Este documentário sedimentou o nome de Lionel Rogosin como um dos mestres do movimento Cinema Verite.

Dia 8 – terça-feira
20h – Il Mondo Perduto – Programa 2

Dia 9 – quarta-feira
18h – De Volta à África
20h – Touki Bouki – A Jornada da Hiena

Dia 10 – quinta-feira
18h – Maciste no Inferno
20h – Quando Explode a Vingança

Dia 11 – sexta-feira
18h – Il Mondo Perduto – Programa 1

20h – O Posto

Dia 12 – sábado
18h – Notas Para Filmar Orestes na África
20h – A Trapaça

Dia 13- domingo
18h – Redes
20h – A Caixa de Pandora

Programação Galeria Olido

Dia 1 – terça-feira
19h30 – A Trapaça

Dia 2 – quarta-feira
17h – Touki Bouki
19h30 – Quando Explode a Vingança

Dia 3 – quinta-feira
17h – O Posto
19h30 – De Volta a Africa

Dia 4 – sexta-feira
17h – Maciste no Inferno
19h30 – A Caixa de Pandora

Dia 5 – sábado
17h – Il Mondo Perduto – Programa 1
19h30 – Notas Para Filmar Orestes na África

Dia 6 – domingo
17h – Il Mondo Perduto – Programa 2
19h30 – Redes

Dia 08 – terça-feira
19h30 – O Posto

Dia 09 – quarta-feira
17h – Notas Para Filmar Orestes na África
19h30 – A Trapaça

Dia 10 – quinta-feira
17h – Redes
19h30 – A Caixa de Pandora

Dia 11 – sexta-feira
17h – De Volta a África
19h30 – Il Mondo Perduto – Programa 2

Dia 12 – sábado
17h – Il Mondo Perduto – Programa 1
19h30 – Touki Bouki

Dia 13 – domingo
17h – Maciste no Inferno
19h30 – Quando Explode a Vingança

Imagem Reencontrada
De 1 a 13 de fevereiro no CCSP e na Galeria Olido
Centro Cultural São Paulo
Rua Vergueiro, 1000, Paraíso, São Paulo, tel. (11) 3397 4002.
Galeria Olido
Avenida São João, 473, Centro, São Paulo, tel. (11) 3331 8399.

1 comentário Adicione o seu

  1. Igor Santa Clara de Aquino disse:

    Esta mostra foi memorável. Eu pensei que fossem haver reedições anuais dela.

    Seria interessante colocar uma mostra como esta no calendário cinematográfico da cidade de São Paulo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s